Especialista em Cardiogeriatria

A consulta de

Geriatria

O meu objetivo na geriatria é oferecer um atendimento o mais individualizado possível, enxergando aquele indivíduo como único.

A Geriatria é uma especialidade muito ampla e heterogênea, pois podemos nos deparar com situações muito diversas, como por exemplo: de um lado, um paciente de 50 anos que vem para uma consulta de rotina, visando buscar medidas de promoção à saúde e realização de check-up; e, do outro lado, um idoso com mais de 90 anos, mais fragilizado, com várias doenças, cenário no qual o nosso foco será promover conforto e qualidade de vida, revisar as medicações em uso, tentando retirar aquelas que não trazem mais benefícios e que podem estar causando malefícios.

Dessa forma, o nosso objetivo é oferecer um atendimento o mais individualizado possível, enxergando aquele indivíduo como único.

Nós, médicos, sabemos o quão importante é utilizar os protocolos e diretrizes para guiar nossas condutas, entretanto, mais importante que isso, é saber reconhecer em quais pacientes esses protocolos são aplicáveis. E isso só é possível através de uma avaliação integral, humanizada e individualizada.

Além disso, temos como um dos nossos pilares no trabalho, priorizar os valores de cada indivíduo, pois sabemos que o que é importante para o médico, não necessariamente o é para o paciente, assim como o contrário também é verdadeiro. 

Precisamos entender e respeitar as diferenças de valores e opiniões para que possamos oferecer o melhor atendimento possível.

Além disso, por ser a Geriatria uma especialidade que enxerga o paciente de uma forma tão ampla, diversas são as queixas que os trazem à consulta.

1. Alterações de memória
2. Alterações de humor, como ansiedade e depressão
3. Tontura e desequilíbrio
4. Quedas
5. Alterações urinárias
6. Disfunção Sexual
7. Alterações da tireoide
8. Imobilidade
9. Alterações dos sentidos (visão, audição)
10. Sintomas da menopausa
11. Osteoporose e fraturas
12. Úlceras e feridas
13. Doenças da próstata
14. Avaliação pré-operatória

Como é realizada a consulta de geriatria:

Quando falamos em consulta de Geriatria, não podemos deixar de falar da AGA, ou Avaliação Geriátrica Ampla.
Acredito que a AGA seja um grande diferencial da Geriatria.

Ela consiste numa Avaliação Global e Detalhada de diversos domínios que podem estar comprometidos no idoso e que, muitas vezes, não são relatados na consulta.

Diversos domínios são avaliados na AGA, sendo os principais:

  • Funcionalidade (grau de independência para realizar as atividades do cotidianos)
  • Memória
  • Humor
  • Órgãos dos Sentidos  (audição, olfato, paladar)
  • Mobilidade e quedas
  • Estado nutricional e perda de peso

Utilizando essa avaliação clínica detalhada e uma abordagem multidisciplinar conseguimos ampliar a detecção de problemas e elaborar planos individualizados de tratamento para esses pacientes, com foco na avaliação sistemática e na reabilitação.

A aplicação da AGA nas consultas geriátricas já mostrou ser capaz melhorar a funcionalidade e autonomia, a sobrevida e também a qualidade de vida.

Quer saber um pouco mais sobre os meus atendimentos?

Vou contar pra vocês um pouco sobre a filosofia da Slow Medicine (A Medicina sem Pressa), a qual utilizo em todas as minhas consultas, sejam elas presenciais, teleconsultas ou atendimentos domiciliares.

O princípio da Slow Medicine foi elaborado pelo Instituto Holandês de Slow Medicine e significa A Medicina sem Pressa.

Esse princípio resgata o tempo como parte essencial da abordagem médica. Tempo para ouvir com muito cuidado cada detalhe da queixa, tempo para examinar o paciente por completo, tempo para acolher suas angústias e tempo para sorrir e comemorar os êxitos dos tratamentos.

O tempo é também importante para o médico, que consegue raciocinar melhor. O raciocínio clínico de qualidade é capaz de economizar exames desnecessários e até procedimentos invasivos, pois com tempo para pensar, conseguimos entender melhor do que se trata aquela queixa e nossa investigação se torna mais direcionada.

Esta também é a filosofia da medicina focada no paciente. Utilizamos a tecnologia sim, pois esta sem dúvida revolucionou a medicina. Entretanto, ela é secundária. O paciente é mais importante que os exames complementares. Visamos o cuidado do ser humano como objetivo principal.

Aqui se encaixa perfeitamente a velha máxima: A pressa é a inimiga da perfeição!

A Slow Medicine tem também como pilares a valorização da relação médico-paciente e o compartilhamento das decisões.

A “Decisão Compartilhada” ocorre quando médico e paciente atuam juntos na tomada de decisão, após o médico explicar detalhadamento os prós e contras de cada medida tomada. Essa tem sido uma mudança evolutiva pela qual a Medicina vem passando. Há décadas atrás, a medicina era muito Paternalista, o médico era considerado o detentor do saber e a ele cabiam todas as decisões. Hoje, felizmente, a Medicina entende que é essencial ouvir e considerar as preferências e valores do paciente, dessa forma, dando espaço para ele participar da tomada de decisões a respeito dos tratamentos e procedimentos diagnósticos aos quais se submeterá.