Title Image

Blog

Quedas e Doenças Cardíacas

As quedas são eventos extremamente comuns na população idosa. Estima-se que cerca de 35% dos idosos sofreram ao menos uma queda no último ano e essa prevalência aumenta com a idade. Após os 85 anos, mais de 50% dos idosos referem um ou mais episódios de queda no último ano.

 

Além de frequentes, são potencialmente graves, pois podem levar à ocorrência de fraturas, traumatismos cranianos, hemorragias cerebrais e ferimentos graves. Tais lesões podem levar o idoso a perder sua autonomia e funcionalidade.

 

Apesar de tão frequentes, as quedas são frequentemente negligenciadas. Isso ocorro por diversos motivos: idosos acham que é normal cair, não acham que seja uma queixa importante para falar na consulta, os familiares não viram a queda, o médico não pergunta ativamente na consulta.

 

Mais importante ainda do que identificar que o idoso caiu, é descobrir a causa da queda.

As quedas podem ocorrer devido a alterações ósseas e musculares; como artrose de joelho, fraqueza muscular, dores articulares. Mas, ela pode também ser consequência de doenças mais graves e que precisam de tratamento imediato, como as doenças cardíacas.

 

QUEDAS E DESMAIOS

 

Frequentemente, os idosos não sabem referir como ocorreu a queda; não lembrar como estavam na hora que caíram, não sabem dizer se houve algum sintoma antes da queda. Além disso, comumente as quedas não são testemunhadas, ou seja, não há nenhum familiar na hora para relatar como se deu a queda.

 

Nesses casos, definimos essa condição como: Queda de origem inexplicada!

Por que é importante entender o mecanismo da queda?

 

As quedas podem ser, na verdade,  episódios de “desmaio”. E, nesses casos, podem haver doenças cardíacas por trás da origem da queda.

 

Leia também: https://lorenandradegeriatra.com.br/sindrome-de-fragilidade-do-idoso/

 

CAUSAS CARDIOVASCULARES DE QUEDAS

 

Há uma série de condições cardiovasculares que podem causar quedas, algumas benignas e facilmente tratáveis, outras mais graves e que requerem maiores cuidados.

 

Uma causa muito comum de queda no idoso é a hipotensão postural. O que significa essa condição?

Nada mais é do que uma queda da pressão quando o indivíduo levanta. Quem aqui já não ouviu um idoso, ou até mesmo um indivíduo jovem, reclamar que fica tonto quando levanta muito rápido? Pois é, isso é hipotensão postural.

Ao ficar tonto quando levanta, o idoso pode cair rapidamente.

O próprio envelhecimento causa uma desregulação do sistema de receptores que regulam a pressão, por isso a hipotensão postural é mais comum no idoso.

Além disso, muitas medicações podem causar ou agravar a hipotensão.

 

Doenças do “músculo cardíaco” (o miocárdio) podem ser causas de quedas. Por exemplo: doenças nas válvulas (em especial a estenose aórtica), infartos, miocardiopatias.

 

Além das doenças do miocárdio, as arritmias também podem ser causa de quedas. As que mais se destacam: bloqueios atrioventriculares avançados, bradicardias, doença do nó sinusal.

 

AVALIAÇÃO CARDÍACA DO IDOSO COM RELATO DE QUEDA

 

Por esse motivo, idosos com quedas de origem inexplicada precisam passar por uma avaliação cardíaca minuciosa, visando excluir possíveis doenças cardíacas como causa da queda.

 

Durante a coleta da história clínica e do exame físico, algumas causas já podem ser identificadas. Entretanto, na maioria dos casos, alguns exames complementares serão necessários.

 

Há uma série de exames que podem nos auxiliar, e eles deverão ser solicitados de acordo com a hipótese diagnóstica suspeitada na consulta.

 

Alguns exemplos: holter de 24 horas pode auxiliar no diagnóstico de arritmias, ecocardiograma pode auxiliar nos casos de doenças do miocárdio.

Mas, um informação importante que quero deixar: A anamnese e o exame físico são partes fundamentais na investigação e os exames complementares não os substituem!