Title Image

Blog

É só uma anemia

As anemias constituem uma condição muito frequente na população geral, principalmente em idosos! Talvez por ser tão comum, percebo que muitas vezes é pouco valorizada ou considerada como algo simples ou até mesmo “normal para idade”!

As anemias podem ser causadas por uma variedade de condições, desde uma deficiência de ferro até um câncer, por exemplo!

Por que eu resolvi falar sobre anemia hoje?

Porque com frequência acontece a seguinte situação no consultório, que muito me preocupa: “O paciente tem uma anemia que vem piorando aos pouquinhos, e há muito tempo ele toma ferro para tratar essa anemia. Mas quando eu pergunto se ele já investigou essa anemia, ele me responde que não!! Ou seja, nem sabemos se a causa da anemia é a deficiência de ferro! 

A anemia por deficiência de ferro (ou ferropriva) é uma das causas mais comuns de anemia no mundo, e é sobre ela que iremos falar hoje!

  1. O que é anemia?

A anemia é uma doença causada pela redução dos glóbulos vermelhos do sangue. Os glóbulos vermelhos são células formadas por hemoglobina e têm como função transportar o oxigênio para as células de todo o corpo, permitindo que elas funcionem.

Dizemos que o indivíduo tem anemia quando sua hemoglobina está abaixo de 12 g/dl (na mulher) e 13 g/dl (no homem).

  1. Quando ocorre uma anemia por deficiência de ferro?

O ferro é um dos elementos que constituem a hemoglobina, portanto, quando há redução de ferro, vai haver redução da hemoglobina e anemia, por consequência.

A anemia por deficiência de ferro pode ocorrer devido à três situações:

  • Redução da ingestão de ferro na alimentação;
  • Redução da absorção de ferro no sistema digestivo;
  • Perda de ferro por sangramentos.

Em adultos em países em desenvolvimento, como é o caso do Brasil, onde a ingestão alimentar é quase sempre adequada, é razoável supor que a causa é a perda de sangue até prova em contrário.

Essa perda de sangue pode ser evidente, como é o caso de hemorragias traumáticas; mas, com frequência, essa perda é oculta. Nesse caso, pode haver um sangramento oculto e crônico, que o paciente não vê, mas aos poucos vai levar a anemia.

Por isso é muito importante investigar a causa da anemia antes de tratar!

  • Causas de sangramentos ocultos:
  • gastrite grave;
  • Úlceras no estômago;
  • Angiodisplasias no intestino (má formações nos vasos);
  • Pólipos intestinais;
  • Câncer de intestino;
  • Hemodiálise;
  • Sangramento na urina.
  • Causas de redução da absorção de ferro pelo organismo:
  • doença celíaca;
  • Gastrite atrófica;
  • H. pylori;
  • Cirurgia bariátrica.
  1. Quais são os sintomas da anemia?

A gravidade dos sintomas vai depender da severidade da anemia e da velocidade com a qual ela se instalou. Por exemplo, sangramentos ocultos e discretos, que levam a uma anemia leve, podem nem dar sintomas aparentes ou causar sintomas leves e discretos. Por outro lado, uma perda muito importante de sangue e de forma rápida, pode causar sintomas graves.

Os sintomas mais comuns são:

  • Fadiga;
  • Síndrome das pernas inquietas;
  • Dor de cabeça;
  • Intolerância ao exercício;
  • Falta de ar;
  • Fraqueza.
  1. Como fazemos o diagnóstico?

Inicialmente, solicitamos exames de sangue com hemograma e perfil de ferro. 

Confirmado o diagnóstico de anemia por deficiência de ferro, é essencial investigar a origem dessa deficiência: má absorção? Perda de sangue?

A história clínica é fundamental para pensarmos na hipótese diagnóstica. De acordo com a nossa suspeita, partimos para exames complementares para descobrir a origem da anemia.

Em idosos, precisamos sempre estar atentos para perda de sangue oculto pelo sistema digestivo. Por isso, nesse contexto, muitas vezes solicitamos endoscopia e/ou colonoscopia para investigação.

  1. Como tratamos?

O tratamento consiste em repor ferro, que pode ser de forma oral ou venosa. 

Em casos de anemias muito graves, pode ser necessária a transfusão de sangue.

Mas, o mais importante é tratar a causa da anemia!! 

Por exemplo: descobrimos que o paciente tem um pólipo no intestino, que está causando um sangramento crônico e levando a anemia. Vamos repor o ferro, mas precisamos retirar o pólipo para cessar com o sangramento.

Mensagem final:

“Não é normal ter anemia! Sempre que for identificada uma anemia, antes de iniciarmos o tratamento, precisamos investigar a causa”!

Referências:

Lopez A, Cacoub P, Macdougall IC, Peyrin-Biroulet L. Iron deficiency anaemia. Lancet 2016; 387:907.