Title Image

Blog

Ansiedade ou Doença Cardíaca?

Você que está lendo esse artigo agora, já apresentou uma crise de ansiedade alguma vez na vida? E durante essa crise sentiu palpitações, ficou ofegante, a pressão ficou elevada?

É muito comum que indivíduos com transtornos de humor, como ansiedade e crises de pânico, apresentem não só alterações psicológicas, mas também sintomas físicos. Quando isso ocorro, falamos que está ocorrendo “somatização”.

Somatização

Somatizar significa apresentar sintomas físicos gerados por uma condição psiquiátrica. Esses sintomas podem ser muito variados: dores no corpo, diarreia, dor no estômago etc. Mas é muito comum que os pacientes apresentem sintomas relacionados ao sistema cardiológico, como palpitações, falta de ar e até mesmo dor no peito.

Quando isso ocorre, é natural que o indivíduo fique preocupado e com receio que se trate de uma doença cardíaca. E, nesses casos, frequentemente procuram avaliação médica com a dúvida: Será que esses sintomas são decorrentes da minha ansiedade ou eu tenho uma doença cardíaca?

Então vamos lá, como podemos diferenciar essas duas condições?

Avaliação Médica

Apesar de os sintomas “cardiológicos” poderem ser decorrentes do quadro de humor (ansiedade, depressão, pânico), é fundamental que sejam descartadas doenças cardiológicas que possam estar causando ou contribuindo para esses sintomas.

Para isso, é fundamental uma avaliação médica minuciosa e, em geral, alguns exames cardiológicos complementares.

Durante a anamnese, já podemos avaliar alguns pontos importantes que podem nos auxiliar nessa investigação. 

O risco cardiovascular

Um passo importantíssimo é avaliar o risco cardiovascular do paciente, ou seja, a chance de ele apresentar uma doença cardiológica. Esse dado irá nortear a investigação complementar.

Por exemplo, se trata de uma mulher jovem, saudável, sem nenhuma doença de base? É mais provável que os sintomas dela se devam ao quadro de humor, portanto, a investigação complementar dessa paciente provavelmente será mais simples.

Por outro lado, se estamos falando de um paciente idoso, com fatores de risco para doença cardíaca (hipertenso, diabético, com colesterol alto), temos que pensar que a chance de os sintomas serem decorrentes de uma doença cardiológica é maior e ele precisará ser investigado com mais minúcia e mais exames complementares.

É possível também que o paciente apresente as duas condições: Ansiedade e Doença Cardiológica. Nesses casos, os sintomas podem ser da doença cardiológica e estarem exacerbados pelo quadro de humor.

Outro ponto importante para se avaliar na consulta é a característica e os detalhes do sintoma, eles podem consistir em pistas para o diagnóstico.

Por exemplo, se o paciente queixa de dor torácica, e esta é em aperto, causada pelo esforço físico, irradia para o braço esquerdo e melhora com o repouso; nos faz pensar em uma dor de origem cardíaca.

Entretanto, se é uma dor em pontada, que piora quando mexe o braço, não tem relação com o esforço, melhora com antiinflamatório; nos faz pensar mais na possibilidade de uma dor muscular.

Mas atenção!! Sempre procure auxílio médico em caso de sintomas cardiológicos! Alguns pacientes, em especial idosos, diabéticos e mulheres, podem manifestar doenças cardíacas com sintomas “atípicos”. E só durante uma consulta individualizada poderemos entender se há ou não risco de haver uma alteração cardiológica.

Confira o vídeo: Existe infarto sem dor no peito?

Existe Infarto sem Dor no Peito?

Os exames complementares

A história clínica e o exame físico constituem os passos principais na investigação da origem dos sintomas do paciente. Entretanto, em boa parte das vezes são necessários alguns exames complementares para auxiliar nesse processo.

Alguns exames que frequentemente são solicitados:

  • MAPA (monitorização ambulatorial da pressão arterial)

Nesse exame, é colocado um aparelho para medir a pressão arterial do indivíduo durante 24h.

Em geral, solicitamos ele quando estamos na dúvida se o paciente é hipertenso ou se a pressão fica elevada nos momentos em que ele está ansioso. 

Leia também o artigo: Dra, a minha pressão só fica alta no consultório!

Dra, a minha pressão só fica alta no consultório!

  • Holter

Nesse exame, são colocados eletrodos no tórax do paciente que vão captar a atividade elétrica do coração. Ele é utilizado para investigar a presença de arritmias. É útil nos pacientes com queixa de palpitação, “batedeira” no peito, coração acelerado.

  • Teste Ergométrico e Cintilografia Miocárdica

São exames úteis para avaliar queixa de dor torácica. Eles auxiliam na investigação de doença coronariana (gerada pela deposição de placas de gordura nos vasos do coração e que podem geral dor no peito).

Eles também são utilizados em outras situações, como por exemplo, na avaliação de capacidade física antes de liberar o paciente para um programa de exercícios físicos.

Há uma série de outros exames que podem ser solicitados durante a investigação, conforme a necessidade avaliada pelo médico. Eu citeis os mais comuns.

É importante que vocês tenham em mente a importância de se procurar atendimento médico para avaliação de sintomas que podem ser decorrentes de doenças cardiológicas, mesmo que você acredite que eles possam estar relacionados a um transtorno de humor, como ansiedade.